Início Tecnologia Aplicações Móveis A Telegram Foi Bloqueada na Rússia Por (Não) Partilhar os Dados dos...

A Telegram Foi Bloqueada na Rússia Por (Não) Partilhar os Dados dos Utilizadores

95
0
COMPARTILHAR

Enquanto o Facebook está a braços na justiça dos EUA por devassa dos dados dos seus utilizadores, a Telegram, serviço de mensagens instantâneas fundado em 2013 pelo irmãos Nikolai e Pavel Durov, os mesmo do VK, a maior rede social da Rússia, será, a partir de hoje, bloqueado na Rússia como resultado de não ter cumprido as exigências que o órgão regulador russo solicitou à plataforma de mensagens. Isto foi decidido por um tribunal de Moscovo, que deu a razão ao órgão regulador russo no seguimento da sua queixa apresentada contra a aplicação de Pavel Durov, que está sediada em Berlim, Alemanha, por se recusar a partilhar as chaves de criptografia do aplicativo e consequentemente os dados pessoais de utilizadores para o Serviço Federal de Segurança (FSB).

 

A proibição do acesso à informação estará em vigor até que os requisitos do FSB para fornecer chaves para decifrar as mensagens dos utilizadores sejam atendidos.

 

Golpe duro para o Telegram


A decisão é um golpe para a plataforma de mensagens mais popular do país, criada e dirigida por Durov, natural em São Petersburgo. Após a decisão tomada, e antes das declarações públicas do seu CEO, que reforça que não se submeterão à pressão do governo. Afinal parece que esta perseguição não é nova e foi o que levou a Telegram a deixar o país enquanto empresa.

Pressões e atitudes que, por outro lado, não são novidade para Pavel Durov, que já as experimentou em primeira mão quando era CEO de uma rede social muito popular por lá. Embora o caso possa não ser exatamente o mesmo, o que está claro é que o governo não facilitará o processo se quiser ver a sua aplicação a operar legalmente no país novamente.

Pavel Durov revelou hoje, 13 de abril, através de diferentes meios de comunicação em relação ao que aconteceu depois de ouvir a decisão do tribunal russo. Segundo o CEO da plataforma,

a sua atitude permanece a mesma de antes e não cederá à pressão do governo. Também afirma que o Telegram poderá continuar a operar no território através do uso de uma VPN

 

O poder dos governos locais sobre as corporações de tecnologia da informação é baseado no dinheiro. A qualquer momento, um governo pode bloquear as suas ações ameaçando bloquear fontes de receita dos seus mercados e forçando essas empresas a fazerem coisas estranhas (lembre-se de como no ano passado a Apple transferiu os servidores iCloud para a China).

Refira-se que a Telegram dá-se ao luxo de não se preocupar com fontes de receita ou vendas de anúncios. A privacidade não está à venda, e os direitos humanos não devem ser comprometidos pelo medo ou ganância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here